Trocando as Memórias da Placa de CPU Taito

Em 15/06/2006

ATENÇÃO: Não me responsabilizo por qualquer dano causado a sua máquina ou a você por tentar este conserto. Faça a manutenção por sua conta e risco.

Qualquer foto desta página pode ser ampliada, bastando clicar na imagem.

Algum tempo atrás, eu estava com algumas CPUs Taito paradas por causa de memórias defeituosas. As 5101 hoje em dia são raríssimas e o jeito era apelar por canibalizar alguma outra CPU ou então pagar até US$20 por um chip desses. Então, comentando com alguns amigos da lista de pinball, lembraram que há anos atrás, alguém tinha adaptado memórias modernas no lugar das antigas 5101.

Depois de revirar metade da internet por essas informações e não encontrá-las, resolvi eu mesmo botar a mão na massa e partir para minha própria adaptação. Depois de estudar o datasheet da 5101 e de algumas memórias mais novas, cheguei a conclusão que uma 6116 seria perfeita para a ocasião. Depois de verificar a funcionalidade, resolvi escrever este pequeno tutorial para ajudar os amigos que estão com suas máquinas paradas por não conseguirem achar os chips.

(Atualizado) Poucos dias atrás, chegou em minhas mãos a placa mãe de uma Batman Forever para conserto e notei que a memória usada era uma 5116. Como não tinha nenhuma informação sobre ela, fiz algumas pesquisas e acabei descobrindo que ela tem a mesma pinagem da 6116 e ainda tem a vantagem de ter um consumo irrisório quando em modo "stand-by". Curioso para saber se essa memória poderia ser usada nessa modificação, fui até a Rua República do Líbano (RJ) e na primeira loja que entrei já achei o chip. Era especificamente uma Sharp LH5116 que custou R$8,00 (preço em maio de 2006). Substitui em uma placa já modificada e funcionou 100%. Então todas as instruções contidas neste tutorial são válidas também para a 5116.

Lembrando que para realizar a troca das memórias é necessário que você possua um bom ferro de solda, sugador e solda de boa qualidade, além de conhecimento e habilidade para usá-los.

Então, com tudo à mão, comece localizando as memórias que serão . Elas ficam um pouco acima e a esquerda do processador, que é o maior chip, próximo ao centro da placa. São dois chips 5101 de 22 pinos.


Agore, procure por dois espaços vagos à direita das ROMs. Na foto abaixo, você pode observá-los. Normalmente não são usados nas CPUs Taito. Provavelmente eles deixaram essas furações extras na placa já pensando em uma futura expansão, o que acabou não acontecendo.


O próximo passo é retirar as memórias antigas. Muita atenção nesta parte! Retirada de chips requer uma certa dose de experiência. Se você não tem muita habilidade, não tente fazer isso sozinho, você pode danificar sua placa!

Na parte de trás (lado da solda), você pode ver que existe um fio ligado no terceiro pino do chip da direita (Na foto, um fio verde). Após a retirada do chip, esse fio precisa ser ligado novamente nesta trilha


Já sem as memórias:


Fio novamente ligado no terceiro furo:


Solde um soquete de 24 pinos na furação destina à ROM n.6. São os furos mais à direita.


A memória nova é uma 6116LP. Essas letras "LP" querem dizer "Low Power" e significam que o chip em modo stand-by gasta um mínimo para armazenar os dados. Na prática isto quer dizer que você pode continuar usando normalmente as pilhas do rack para guardar os ajustes, escores e estatísticas da máquina. No lugar dessa LP, podemos usar um 6116 "comum", mas suas pilhas durarão apenas um ou dois dias. Resumindo a história: se você quer manter a máquina como a original, guardando seus recordes e ajustes, procure pela 6116LP. Se você não usa as pilhas ou não se importa com as estatísticas, pode usar uma 6116 "comum".

Para nossa sorte, a pinagem da 6116 é praticamente idêntica a das eproms originais da máquina, e só precisaremos soldar 3 fios extras (ou 4 se você for utilizar a alimentação das pilhas). Na imagem abaixo podemos ver a pinagem dos dois chips e as ligações que serão feitas. Você deve estar se perguntando: "Por que vou tirar 2 chips e colocar apenas 1?" A resposta é simples: A memória 5101 armazena apenas 4 bits por endereço, sendo assim, são necessários 2 chips para armazenar os 8 bits de cada endereço. Já a 6116 consegue armazenar os 8 bits em um único chip.

Para não restar dúvidas, reproduzo na tabela abaixo as ligações:

6116   5101
Pino 18 (/CS)   Pino 19 (/CS1)
Pino 21 (/WE)   Pino 20 (/RW)
Pino 20 (/OE)   Pino 18 (OD)
Pino 24 (VCC)   Pino 22 (VDD)

Eu quero manter as coisas as mais simples possíveis para que a troca seja bem fácil de ser feita. Então para evitar cortes de trilhas, optei por dobrar para fora os terminais do chip onde soldaremos os fios extras. São os pinos 18, 20, 21 e 24.

Na foto abaixo você pode ver o chip já no soquete com os terminais para fora.

Os fios soldados nos terminais. Note que não dobrei o pino 24, porque não faço questão de usar as pilhas na minha máquina.

Os fios ligados nos terminais da memória antiga. Coloquei soquetes no lugar dos chips porque uso essa placa como o meu "laboratório" de testes. Você NÃO PRECISA soldar os soquetes. Apenas solde os fios direto nos furos da placa.

Aparência final da placa. Não fica bonito, mas funciona.

Essa foto abaixo mostra a modificação feita em uma outra placa. Nessa pode ser vistos os fios soldados diretamente nos furos da memória antiga. Note que não faz diferença em qual espaço das 5101 você soldará os fios. Os pinos que usamos na adaptação (18, 19, 20 e 22 da 5101)  são os mesmos nos dois espaços. 

Aqui pode ser visto a 6116 com os fios.

Aparência final da segunda placa. Como falei antes: não é bonito, mas funciona.

Por hoje é tudo. Se você ainda tem dúvidas, sugestões, críticas ou correções, comente no espaço abaixo.



Voltar - Home


Comente



COMENTÁRIOS DESABILITADOS NO MOMENTO! RETORNAM EM BREVE
É expressamente proibido a reprodução total ou parcial deste texto sem a minha devida autorização por escrito.