Expandindo a RAM do Amiga 600

Em 13 de Março de 2011


Ontem num comentário no artigo Trocando os capacitores do Commodore Amiga, o Rogério Kauer, um dos usuários mais ativos da linha nas listas de discussão que participo, comentou sobre uma expansão de memória, apenas soldado os chips direto na placa-mãe. Comecei a minha pesquisa, imaginando como seria possível uma expansão desse tipo, que poderia ser fácil e, principalmente, barato de se fazer, além de ser um ótimo adendo ao sistema que vem com somente 1Mb de memória "de fábrica".


Não tardei a perceber que o esquema original da RAM do A600 prevê essa expansão, já com uma linha de seleção extra para o segundo Mega de memória. Na imagem abaixo fiz as marcações em azul e podemos ver o que os únicos componentes necessários são as próprias memórias.


São dois chips de memória dinâmica, 256k x 16bits, o que hoje em dia é meio complicado de se achar em lojas por aqui. A boa notícia é que inúmeros fabicantes de placas de vídeo de PC usaram esses mesmos chips, então é bem fácil você encontrá-los nas bravas Trident 1Mb por exemplo.


Com os chips em mãos, temos que prepará-los para a soldagem. Apesar da lógica de controle estar presente no A600, não temos um espaço na placa-mãe para soldar os componentes, então o jeito é utilizar uma técnica conhecida como "piggyback", mas vamos com partes.

Se você retirou o chip de uma placa de vídeo, os terminais estarão dobrados para baixo.


Utilizando uma ponta fina, levante ligeiramente cada pino. Apenas o suficiente para caber a lâmina de um estilete


Então com a lâmina você levanta todos os pinos, fazendo o alinhamento final.


Levantamos os pinos de LCAS e UCAS, são o 28 e 29.


E, em apenas um dos chips, levantamos o pino de RAS, o 14.


Agora vamos soldar os chips um sobre o outro, dai o termo "piggyback". Note que o chip que tem o pino do RAS levantado vai por cima. Os pinos de LCAS e UCAS você pode terminar de dobrar e vão soldados aos seus correspondentes na outra memória. Alinhe perfeitamente os pinos dos dois lados antes de começar a soldar para facilitar a operação. Se guie pelas fotos.


Não vou entrar em detalhes sobre a desmontagem do Amiga, basta acompanhar o processo no artigo sobre os capacitores. Com a maquina aberta e com os dois chips já soldados entre si, alinhe sobre o U16 original da placa do A600 e faça soldagem pino a pino. Muita atenção nessa parte! Os pinos são muito próximos e facilmente a solda pode escorrer para os pinos adjacentes. Condira e reconfira os pontos de solda com uma boa luz, lente e multimetro.


Pegamos agora o sinal de RAS da outra memória, no mesmo pino, o 14.


Aproveito para fazer uma observação. Os chips poderiam ter sido soldados separadamente por cima de cada memória da placa mãe, nesse caso não precisando de puxar esse sinal do RAS da outra memória como fizemos acima. O problema é que no fechamento do Amiga o parafuso do drive ficaria MUITO próximo do chip, podendo causar curtos. Poderia até ser adaptado, retirando o parafuso e cortando o suporte do drive, mas além desse trabalho extra a própria montagem é mais trabalhosa, visto que é os pontos de solda entre os chips U16 e U17 ficam de dificil acesso. Soldando previavente um chip sobre o outro e estes no U16 como fizemos é bem mais fácil, além de não ter o problema da montagem do drive.

Continuando, vamos pegar o sinal UCAS, vindo de U27 pino 11 e passando por um resistor de 27R.


O sinal LCAS vem também de U27 mas no pino 5 e passando por outro resistor de 27R.


Essas fotos se referem a placa revisão 2B. Se sua placa for diferente e na dúvida de onde pegar os sinais, eles também estão presentes no conector de expansão do trapdoor: o LCAS no pino 35 e o RCAS no pino 36. Mas perceba que a contagem dos pinos é feita da esquerda para a direita, pinos pares na parte de cima da placa, pinos impares na parte de baixo. Por sorte, logo acima do pad do pino 36 tem um furo de via de passagem para o 35, então dá para soldar os dois fios por cima mesmo da placa.

Agora é só testar. Eu como não conheço muito do sistema, apenas carreguei o Workbench.


Veja que dei boot com o mesmo disco que usei para fazer a primeira foto. Antes tínhamos um pouco mais de 800K livres, mas agora passamos para mais de 1800K livres, indicando que o Amiga está reconhecendo a nova expansão de memória. Se alguem tiver sugestões de como REALMENTE testar os 2Mb de memória, só falar.

Finalizando, devo dizer que nem tudo são flores. Com essa expansão de memória, inviabilizamos o uso de QUALQUER outra placa que funcione no conector do trapdoor. Provavelmente não fará diferença para a grande maioria, mas tenham isso em mente se vocês deciderem partir para a adaptação.

Agradeço ao Kauer pelas infos iniciais referentes a essa expansão de memória.

Dúvidas ou sugestões, comente abaixo.


Voltar - Home


Comente



COMENTÁRIOS DESABILITADOS NO MOMENTO! RETORNAM EM BREVE
É expressamente proibido a reprodução total ou parcial deste texto sem a minha devida autorização por escrito.