Conserto Commodore VIC-20

Em 30 de dezembro de 2009.


Em setembro de 2009 peguei um VIC-20 no estado e sem fonte. A primeira providência foi dar uma pesquisada sobre ele e descobri que a versão da minha fonte seria a mais simples, somente com transformador de 9V, então montei rapidamente uma, que ficou bem descente com um transformador 9v+9v 2A, numa caixinha Patola e um cabo de força padrão, que se lembro bem, era um cabo de força de Dreamcast. O encaixe ficou perfeito no VIC.


Com a nova fonte em mãos já era possível testar, mas quando ligado na TV, somente uma tela preta. Teste várias vezes ligar e desligar e num desses teste veio uma tela cheia de caracteres aleatórios. Com certeza tinha algum problema.

Desmontando o equipamento, verifiquei que as voltagens aparentavam estar normais, então provavelmente algum chip com defeito. Comecei retirando o chip de video que era soquetado. Dei uma limpeza básica com uma lixa fina e alcool isopropílico, depois uma boa limpeza no soquete com uma escova de dentes velha e finalmente uma resolda. Continuava o mesmo problema de tela preta. Os outros únicos chips soquetados era as ROMs e como tinham uma pinagem diferente das eproms comuns, não testei na hora, passando para as memórias.

Retirado todos os chips de memória, testei-os num TK3000, onde pude verificar que todos estavam perfeitos. Como só tinham sobrados os TTLs comuns, fui retirando um a um para ver se achava algo, mas todos estavam perfeitos também.

A essa altura já tinha batido o desespero, porque todos os CIs foram testado e já estava achando que seria problema no chip de video, a única coisa que eu não havia como testar. Lembrei então que os chips das ROMs não tinham sido testados ainda e como não havia outra coisa pra fazer, resolvi construir um adaptador para que eu pudesse lê-las num Willem.


Note que a apesar de serem roms de 8kb, a pinagem dessa 2364 é meio diferente, então peguei um soquete de 28 pinos e outro de 32 pinos e rearranjei os pinos que não coincidiam para que ficasse identico a uma 2764.

Li o primeiro chip e o resultado parecia bom, o que indicava que o adaptador tinha funcionado. Baixei um set conhecido de ROMs para comparação e um dos arquivos bateu com o que eu tinha lido. Passei para o segundo chip usando o mesmo método do adaptador, e apesar de várias tentativas, não consegui que o consteúdo lido fosse igual a nenhum dos outros dois arquivos. Uma coisa estranha que notei é que geralmente eu lia dados diferentes cada vez que dava o comando de leitura. Passei então para o terceiro chip, que foi lido e comparado rapidamente sem nenhum problema.
O arquivo que não consegui identificar eu gravei numa 2764 virgem, mas restava o problema de não ser pino-compatível com a ROM original. Coloquei a memória no soquete original deixando de fora os pinos que não casavam e fiz um pequeno trabalho de wiring para acertar os outros sinais. Eu poderia até ter usado o adaptador que eu tinha feito para ler, mas fiquei em dúvida se daria altura para fechar o gabinete.


Com tudo no lugar, liguei novamente e a tela de boot apareceu mostrando seus "fartos" 3.5k de memória.


O interessante disso tudo é que eu SEMPRE que começo um conserto eu testo na ordem:

1 - Voltagens
2 - ROMs
3 - Memórias
4 - Outros

Porém, como as ROMs tinham essa pinagem diferente eu acabei deixando de lado, o que acabou me custando umas boas horas a mais. Cabe aqui uma frase que um amigo técnico me disse uma vez:

"Em consertos de eletrônicos, não pode haver preguiça"


Dúvidas ou sugestões, utilize o espaço abaixo.


Voltar - Home


Comente



COMENTÁRIOS DESABILITADOS NO MOMENTO! RETORNAM EM BREVE
É expressamente proibido a reprodução total ou parcial deste texto sem a minha devida autorização por escrito.