Troca de Capacitores no Commodore Amiga

Em 6 de Março de 2011


Um dos principais problemas dos Amigas hoje são os capacitores eletrolíticos. Estes micros usam capacitores SMD que, com o tempo, tendem a vazar o eletrólito. O grande problema contudo é que este liquido tem como base ácido bórico que corrói as trilhas e pode danificar permanentemente uma placa mãe. E o pior de tudo é que é um "inimigo" silencioso e mesmo um Amiga funcionando perfeitamente não significa que o problema não exista! Vejam o exemplo abaixo que eu transformei num pequeno tutorial:

Me enviaram recentemente um Amiga 600 novo, daquele lote da PCI que andou rodando por ai algum tempo atrás. Lindo! Branquinho, cheiro de novo.


Vejam os detalhes. Plástico no logotipo(!) e etiqueta cobrindo a porta paralela.


O micro estava funcionando normalmente, mas é de bom alvitre fazer a troca, então vamos desmontar. Pena que tem que romper o lacre.

São 6 parafusos na parte de baixo, além de dois pequenos encaixes internos na tampa. Esses encaixes as vezes são meio chato de retirar e para facilitar a operação eu uso uma palheta de guitarra. Não é recomendável usar chave de fenda porque marca o plástico, então cuidado se for usá-la para esse desencaixe.


Com as travas laterais soltas, deslize a tampa para trás para liberar as travas traseiras e só então comece a levantá-la lentamente a partir da frente do micro. Perceba que a direita existe um conector onde são ligados os LEDs, então retire-o simplesmente puxando-o para trás. Feito isso basta continuar a levantar a tampa, tendo cuidado com o cabo flat do teclado.


Para soltar o teclado é necessário levantar a parte plástica do conector. Eu usei um pequena pinça levantando ambos os lados. Feito isso o flat sai direto, sem nenhum esforço. Retire o drive que é preso por um parafuso e desconecte os cabos de força e de dados. Retire também o "berço" do HD que é uma peça de metal que vai simplemente encaixada.


Agora precisamos retirar a blindagem de metal. CUIDADO, as bordas são muito afiadas. Com um estilete levante as "orelhas" e alinhe com os cortes. Faça isso em toda a volta e não esqueça de retirar também o parafuso, na parte de baixo. Com muita paciência vá levantando o metal, desencaixando-o da metade inferior. Alias, é uma boa idéia você retirar essa blindagem e NÃO colocá-la de volta na remontagem. Ela serve para bloquear o RF emitido pelo equipamento para não dar interferência em equipamentos ligados próximos. Hoje em dia não existe a menor utilidade para ela, além da inconveniência de cortar a mão quando se vai mexer no hardware.


Com a blindagem removida, já é possível ver os capacitores e ter uma primeira idéia do estrago. Note que nas duas fotos da direita as soldas dos capacitores estão sem brilho e com um residuo estranho. (Clique nas fotos para ampliar). Não tem dúvida, isso é eletrólito vazando.


Vamos acabar de desmontar. Retire os parafusos dos conectores. Eu tinha a chave na medida exata, mas pode ser usado um pequeno alicate de bico. Só desenroscar, como um parafuso comum.


Retire a placa do gabinete de plastico. É uma operação meio chata e a melhor maneira de cumpri-la é desencaixando primeiro os conectores de joystick da lateral direita usando uma pequena chave de fenda fazendo uma alavanca. Uma vez retirada a placa, retire o parafuso entre as duas entradas de joystick. Agora você já pode retirar a placa da metade inferior da blindagem. Essa base você guarda, porque voltermos com ela na remontagem.


Essa Placa-mãe é revisão 2B.


Bom, agora o trabalho é retirar todos os capacitores. Os eletrolíticos comuns você usa um ferro de solda e no caso dos SMD existe uma maneira bem fácil de retirá-los. Acompanhe a sequencia de fotos:

Com uma pinça ou um alicate pequeno balance o capacitor para um lado e para outro.


E continue para um lado e para outro. Note que este movimento deve ser no sentido perpendicular às soldas para você ter espaço para mover a peça.


Até que os terminais se quebram. Se ficarem os terminais, repita o movimento neles, para quebrarem bem rente a placa. Basta fazer com calma, bem devagar que você conseguirá retirar todos os capacitores SMD.


Veja o capacitor C334. Será que estava vazando? :D

Nesta mesma foto, note os espaços dos capacitores C821 e C822. Veja que a corrosão já está em estágio muito avançado e acabou corroendo os "pads" que sairam junto com o capacitor. Damos um jeito nisso na resoldagem dos novos.


Todos os capacitores retirados.


Todos foram retirados, mas não quer dizer que estamos livres do eletólito que vazou. Para parar a corrosão o ideal é lavar a placa para retirar os restos do ácido. Quando eu digo lavar, é lavar MESMO, no tanque/pia/bacia. Apesar de ir contra tudo o que você provavelmente já ouviu, é uma operação perfeitamente segura bastando seguir as observações. Então vamos lá:


Pegue um detergente neutro (não é propaganda, eu usei esse da foto) e derrame uma pequena quantidade nos pontos onde estavam os capacitores.


Com uma escova de dentes (eu uso uma média), esfregue um pouco nas áreas e proximidades aonde podem ter vazado o ácido. Só não exagere muito na esfregação, basta fazer uma quantidade razoável de espuma. Esfregue também no lado oposto da placa, porque o ácido atravessa pelos furos de passagem das vias.


Agora é água em cima! Precisamos remover MUITO BEM qualquer sabão que tenha ficado na placa. Não tenha medo, é pra lavar mesmo...


De volta à bancada, vamos retirar o excesso de água, principalmente a que fica debaixo dos CIs. Use um secador de cabelo não muito quente e vá passando por toda a placa. Vá sempre movendo o secador de um ponto a outro para não aquecer demais uma área. Uma técnica boa é ir acompanhando com a mão livre o jato de ar. Se aquecer demais a sua mão é porque não é bom pra placa também. :P
Agora deixe a placa "descansar" por mais uns dois dias. O caso é ter certeza absoluta que não resta mais nada de água antes de continuarmos. Recomendo uma secagem à sombra mesmo, porque dependendo da região onde você mora, o Sol forte acaba empenando a placa.


Com a placa completamente seca, voltamos ao trabalho. Veja que a lavagem elimina qualquer resíduo, deixando a placa pronta para receber os novos capacitores.


Apesar da placa estar limpa, as soldas onde ficavam os capacitores ainda estão com uma aparência escurecida, então precisamos dar uma "renovada" nelas. Esta operação também serve para retirar o pedacinho do terminal que ficou em cada uma dessas ilhas. Basta derreter um pouco de solda nova por cima e com a própria ponta do ferro, retirar o terminal.


Preste atenção nas trilhas que se perderam no processo de corrosão. Geralmente basta soldar o novo capacitor em algum ponto próximo, mas em casos como o exemplo abaixo, é necessário uma pequena emenda. Aqui estou usando fio rígido encapado, bitola 32, também conhecido como "fio de desbloqueio" por ser muito usado pelo pessoal que solda chips em videogame.


Os novos capacitores que colocaremos são os comuns mesmo, encontrados em qualquer loja do ramo. Eles são bem mais seguros que os SMD e não costumam vazar, além de terem uma vida útil muito maior. Vamos utilizar os modelos "radiais", os que tem os dois terminais na parte de baixo da peça.

Eis a lista para a compra para o Amiga 600:
2 peças 1000uf x 10V
2 peças 470uf x 16V
4 peças 100uf x 6.3V
5 peças 22uf x 25V
4 peças 10uf x 35V
2 peças 47uf x 16V

A voltagem de trabalho não é critica e pode ser usado um capacitor com maior voltagem em qualquer caso. Por exemplo, você poderia utilizar um capacitor de 470uF x 25V, mas não convém usar um de 470uF x 10V, entendido? O único ponto a considerar é que quanto maior a voltagem, maior é a peça fisicamente. Tenha isso em mente, porque dependendo do tamanho, você poderá não conseguir fechar o Amiga.

O mapa abaixo representa a posição de todos os capacitores eletrolíticos do Amiga 600. Perceba que nesses SMDs o silk na placa indica o lado positivo que é o lado mais "achatado" do desenho. Veja a ilustração abaixo para entender o conceito.


Começemos a soldagem. Onde tinha capacitores normais, é moleza. Basta soldar o novo, não esquecendo de observar a posição dos terminais positivo e negativo. Mas e os SMDs, que não tem o furo de passagem na placa? Nesses, temos que encurtar os terminais para eles poderem caber no espaço destinado a um SMD. Cuidado para não exagerar no corte. Antes de soldar faça uma "simulação", colocando a peça na posição a ser soldada, então você corta e dobra os terminais de acordo.


Na maioria dos pontos você deverá colocar o capacitor DEITADO para não atrapalhar o fechamento da tampa.


Vá se guindo pelo mapa e pelo silk da placa e soldando todos os capacitores. No meu caso, alguns pads se perderam por causa da corrosão, então procurei pontos alternativos para fazer as ligações seguindo as trilhas da placa.


Com todos no lugar, vamos a um rápido teste. Basta ligar a fonte e o cabo de vídeo.


Tudo Ok, vamos fechar. Na parte de baixo da blindagem, montamos a placa-mãe e colocamos o conjunto novamente no gabinete do Amiga.


Não vou usar a parte de cima da blindagem, mas as "orelhas" devem ser abaixadas para não atrapalhar o fechamento da tampa.


Então é só conectar o drive e colocar o "berço" do HD na posição.


Falta só o teclado agora. encaixe o cabo flat no conector e pressione o plástico para travar. Exatamente a operação inversa de quando tiramos. Não esqueça ainda do conector os LEDs na parte da frente do micro antes de fechar a tampa definitivamente com os 6 parafusos externos.


Missão cumprida! Mais um Amiga salvo.

Amiga 1200




Recentemente o amigo Guilherme Groke fez a substituição dos capacitores no Amiga 1200 dele e fez algumas fotos durante o processo. Vale aqui as mesmas observações e cuidados observados na desmontagem do Amiga 600.


Para a retirada dos capacitores antigos foi usada uma estação de ar quente.


A placa com todos os capacitores removidos. Todo o processo de lavagem e limpeza é exatamente igual ao do Amiga 600, documentado lá em cima.


A lista para o Amiga 1200 e o mapa de posicionamento dos capacitores.

2 peças 47uF x 16V (C821, C822)
4 peças 100uF x 6,3V (C235, C236, C239, C409)
5 peças 22uF x 35V (C303, C304, C324, C334, C459)
3 peças 10uF x 35V (C21, C305, C407)
2 peças 1000uF x 10V (C408, C811)
2 peças 470uF x 16V (C237, C307)



Capacitores já no lugar.


Notem que no lugar dos capacitores eletrolíticos podem ser usados capacitores de tântalo (nas fotos, as peças amarelas) que tem a vantagem extra de não ter eletrólito, portanto não vazam e ainda são menores do que os eletrolíticos comuns. As principais desvantagem são o preço que é substancialmente maior e a quantidade de valores de capacitância oferecidos, que não são muitos. Veja nas fotos que alguns capacitores dos novos ainda são eletrolíticos provavelmente por não ter sido encontrado o valor da peça. Atente ainda que mesmo ele se parecendo com um capacitor cerâmico, os de tântalo possuem polaridade, tal qual os eletrolíticos. Se optar por usá-los, Não esqueça de ver qual o terminal positivo e o negativo antes de soldá-los.

Agradeço ao Groke pelas infos e fotos referentes ao Amiga 1200.

Dúvidas ou sugestões, utilize o espaço abaixo.


Voltar - Home


Comente



COMENTÁRIOS DESABILITADOS NO MOMENTO! RETORNAM EM BREVE
É expressamente proibido a reprodução total ou parcial deste texto sem a minha devida autorização por escrito.