Tunando o Atari 1200 XL



Em 06 de Dezembro de 2014




Quando falamos "Atari", instantaneamente vem na cabeça o famoso video-game A2600, conhecidíssimo dos brasileiros e distribuido por aqui na época pela Polyvox e mais uma penca de empresas que clonaram o console por aqui. Mas na época poucos sabiam que, enquanto aqui a briga ficava entre TKs e MSXs, lá fora a Atari travava briga similar com a Commodore e Texas Instruments no mercado de 8 bits.

A Atari iniciou seu ciclo de micros 8 bits com os Atari 400 e Atari 800 com lançamento praticamente simultâneo. A principal diferença é que a versão 400 tinha um teclado de membrana, semelhante ao videogame Odyssey ou ao ZX81, enquanto que o 800 tinha uma aparência mais profissional, contando com um teclado similar ao Apple II. Uma tampa frontal dava acesso a duas entradas para cartuchos e slots onde se expandiam a memória RAM, enquanto a porta Serial I/O (SIO) permitia a conexão com o mundo externo.


Uma curiosidade é que ao contrário de quase todos os computadores da época, ele não vinha com BASIC! Este era fornecido à parte, em cartucho, para ser encaixado num dos slots disponíveis no micro.

A primeira atualização da linha foi o 1200 XL, lançado com 64kb de RAM e auto-teste de fábrica, ainda sem o BASIC e novamente com a (lenta) porta SIO. A decisão de colocar os 64kb de RAM soldados diretamente na placa foi acertada, eliminando os problemas de mau-contatos dos micros anteriores. A ausência do segundo slot de cartucho foi um limitador, já que provavelmente o único slot seria ocupado pelo BASIC. O alto preço da máquina e o fator "mais do mesmo" fizeram com que as vendas fossem baixas, apesar do Atari 800 continuar ainda num bom patamar.




Com os preços despencando nos micros da concorrência, era hora de realmente inovar e ao mesmo tempo tentar baratear os custos. Entram então os Atari 600XL e 800XL no mercado, ambos remodelados com menos componentes, BASIC de fábrica e com slot de expansão Parallel Bus Interface (PBI). Apesar da enorme abertura que a PBI dava para os micros, pouquíssimos periféricos foram lançados, provavelmente porque a novidade foi lançada tarde demais na linha.


Os últimos Atari da era 8 bits foram os "XE". Os Atari 65 XE e 130 XE eram idênticos por fora, tinham um visual moderno e vinham respectivamente com 64Kb e 128Kb de memória RAM. A porta PBI caiu e foi substituida pela Enhanced Cartridge Interface (ECI).


Também com lançamento praticamente simultâneo, o Atari XE Game System na realidade era um vídeo-game, mas inclui aqui porque na prática era o 65 XE. Inclusive tinha um teclado que era conectado por cabo na unidade principal.




Botando a mão na massa





Após essa longa intro, vamos falar do objeto deste artigo, o Atari 1200 XL. As propostas visam torná-lo mais amigável e compatível com o 800 XL que hoje parece ser o preferido do povo que ainda dá suporte para a máquina com novos hardwares. A MyIDE da Atarimax por exemplo, só roda a contento com as ROMs do 800 XL, então essa é a nossa primeira mudança, sendo possível ser realizada de três formas.

Trocando a ROM do sistema (versão 1)

Essa pode ser feita pra quem especificamente só que pegar a MyIDE e jogar. Após a abertura do micro, devemos localizar as ROMs, os CIs marcados como U12 e U13, a esquerda logo abaixo do slot do cartucho.


Precisamos retirar os CIs e soquetes originais de 24 pinos e colocar de 28 pinos no lugar. Um jeito fácil e feio seria apenas retirar os CIs, cortar um soquete novo aproveitando apenas as partes retas das pontas e soldar esse pedaço de 4 terminais, completando o soquete original.


Note que a esquerda, logo acima de U12 temos um conjunto de seis jumpers e para usar EPROMs gravadas eles devem ser modificados. Retire os jumpers W7, W8 e W9 e recoloque-os em W11, W12 e W13. Bem ao lado da ROM U13 existe o jumper W6 na vertical que também precisa ser retirado. Compare as mudanças nos diagramas abaixo.


A única coisa que falta agora é gravar os dois CIs 2764. Inclui aqui o arquivo de ROMs adaptadas do 800XL. É exatamente a ROM original, porém divida em dois arquivos de 8kb, prontos para a gravação.


Com os dois CIs nas posições corretas, basta ligar o micro. Como nessa versão não temos o BASIC, ele irá entrar direto nas rotinas de auto-teste.

Trocando a ROM do sistema (versão 2)




Foto: Daniel Campos


Essa é a fácil, mas só se você der sorte... Seu 1200 XL pode vir de fábrica já com duas EPROMs, como foi o caso do micro do Daniel Campos. Neste caso basta apenas gravar os dois CIs 2764 com o mesmo arquivo de ROMs adaptadas do 800XL e colocar nos soquetes.

Trocando a ROM do sistema e adicionando o BASIC

Aqui é que realmente a coisa fica interessante. Com essa modificação, praticamente temos o 800 XL com todas as suas vantagens, com exceção da porta PBI. Na verdade, até é possível também colocar a porta fazendo um circuito à parte, mas como não terei uso e como já disse, a quantidade de interfaces não é significativa, na minha opinião não vale o esforço.

Esta é um pouco mais complicada e além das EPROMs gravadas você precisará de uma MMU do Atari 800 XL. Ela nada mais é do que um CI de lógica programável e pode ser usada uma PAL ou GAL no lugar, com o devido código. Mas vamos com calma.

Primeiramente, precisamos dos soquetes de 28 pinos e mudança dos jumpers, então faça todo o procedimento da "versão 1", mas utilize o arquivo de ROMs originais do 800 XL. Note porém que dessa vez precisamos de uma 27128 para o OS e uma 2764 para o BASIC.


Para o caso da MMU, é necessário retirar o CI em U14, bem ao lado direito da ROM, marcado como CO60609. A original do 800 XL, referência CO61618, é pino-compatível e pode ser colocada direto no soquete. Na falta do CI original podemos usar uma PAL 16L8 ou GAL 16V8. Pegue o arquivo com as equações e grave no PLD de sua preferência. No meu caso eu utilizei uma GAL22V10 que tem mais pinos que o original e adaptei as equações de acordo com a pinagem. Fiz uma gambiarra feia levantando os pinos não usados e soldando o VCC direto num capacitor que ficou praticamente alinhado logo abaixo.


Para finalizar a instalação precisamos soldar dois fios. A EPROM 27128 necessita da linha A13 do pino 26 e o local mais perto seria o pino 23 da CPU que fica na posição U21, abaixo da MMU. Basta solda um pequeno pedaço de fio de lá até a parte de cima do jumper W6. Compare sua placa com a foto abaixo e feito isso você pode verificar o correto funcionamento ligando a máquina, que nesse momento ainda entrará no auto-teste.


O segundo fio é que permitirá o carregamento do BASIC. Ele faz a ligação da MMU com o PIA, avisando que existe o BASIC no "slot" de memória. Ligue então o pino 18 da MMU em U14 com o pino 11 do PIA em U23. O CI está logo abaixo da CPU onde ligamos o primeiro fio. Se guie pela foto se houver dúvida.


É isso, está pronto. Ligando a máquina agora ela entra direto no BASIC, mostrando a palavra "READY" e o cursor para digitação dos comandos.

Melhorando a saída de video - "ClearPic"

Bem, não adianta agora ter agora uma máquina "usável" sem uma saída de vídeo com qualidade! O RF é bem ruim originalmente e o video composto presente no conector para o monitor também não é lá grandes coisas.


Felizmente alguns usuários já fizeram estudos e testes e chegaram a uma saída com melhor qualidade. Essa que apresento parece ser a terceira versão e segundo a referência foi feita por Bob Woolley em cima das versões anteriores. Especificamente esta tem um ótimo resultado em S-Video e video composto, mas como desliga parte do RF ele não fica totalmente operacional. No meu caso não vi problema algum, mas se você quiser manter o RF procure por versões anteriores do ClearPic.

Vamos fazendo passo a passo e nos guiando pelas fotos. No quadro vermelho a esquerda da primeira foto, primeiramente vamos retirar C60 e substituit R187 por um outro resistor de 2K2 (vermelho, vermelho, vermelho). No quadro do centro, retiramos o capacitor eletrolitico C115 e a bobina L15 logo ao lado (parece um resistor), substituindo ambos por dois jumpers no lugar das peças. No terceiro quadro, substituimos o resistor R188 por outro de 680R (azul, cinza, marrom). Compare as duas fotos e veja as mudanças.


Próximo bloco: no quadro a esquerda, colocamos um jumper em C62, no quadro a direita acima retiramos o diodo CR19 e no quadro abaixo retiramos o capacitor C119 que é parecido com um resistor.


Agora as últimas substituições: os resistores R23 e R24 deve ser substituidos por dois de 47R.


O toque final, no conector do monitor, um jumper entre os pinos 4 e 5.


Repassando, temos então os seguintes componentes ao final do mod:

C60(retirado)
R1872K2
C115jumper
L15jumper
R188680R
C62jumper
CR19(retirado)
C119(retirado)
R2447
R2347


O resultado é ótimo em S-Video.


E também bem agradável em video composto.




Espero que as este artigo aqui disponibilizado ajude aos amigos nas suas modificações, porque apesar das informações estarem disponíveis em outros locais, são confusas e em meio a perguntas e respostas de usuários, não tendo um guia ilustrado e principalmente com todas as informações agrupadas em um só lugar.

Dúvidas, sugestões? Use o espaço abaixo.


Voltar - Home


Comente



COMENTÁRIOS DESABILITADOS NO MOMENTO! RETORNAM EM BREVE
É expressamente proibido a reprodução total ou parcial deste texto sem a minha devida autorização por escrito.